Banda Sonora para Dia das Bruxas (a sequela)

Chega aquele dia, importado que parece que veio para ficar em Portugal – pelo menos no aspecto da máscara, decoração do espaço e, definitivamente doces. O Halloween, em português traduz-se por Dia das Bruxas, a véspera do feriado nacional Dia de Todos os Santos.

Mas vamos ao que interessa:

Que canções passar naquela festa que estamos a organizar lá em casa ou no escritório?

O Mixtape está aqui para ajudar os menos versados em música de susto. Esta é a segunda playlist sob a temática Halloween, podem espreitar  a primeira aqui. Para a sequela, estão presentes os clássicos – não podia faltar Thriller de Michael Jackson e o tema principal de Ghostbusters, os grandes hinos sobrenaturais dos anos 80, acordes pop e rock, mas também aquelas canções que arrepiam a pele. Para acalmar os ânimos e propocionar o momento slow da festa, a voz doce de Annie Lennox a embalar um vampiro.

Divirtam-se e usufruam mais  Doces e menos Travessuras

Foto: ©Rute Gonçalves

Playlist Halloween 2

  • Michael Jackson: Thriller
  • Rockwell: Somebody is Watching me
  • Prince: Batdance (BSO)
  • Ray Parker Jr.: Ghostbusters (BSO)
  • AC/DC: Highway to Hell
  • Alice Cooper: Feed my Frankenstein
  • Rolling Stones: Simpathy for the Devil
  • Rocky Horror Picture Show: Time Warp
  • Screamin’ Jack Hawkings: I Put a Spell on You
  • Julee Cruise: Into the Night
  • Annie Lennox: Song for a Vampire (Bram Stoker’s Dracula BSO)
  • Mark Snow: X Files Theme
Advertisements

Poesia para embalar os ouvidos

Para esta que vos escreve, a prosa é mais estimada que a poesia que comemora no dia 21 de Março. Já sendo declamada por vozes que deliciam já é outro assunto. Partilho convosco a playlist que está nos meus favoritos de reprodução, lista de poemas declamados que amiúde me embalam para dormir. E, sendo a canção uma forma de poesia (o Nobel de literatura Bob Dylan, atesta isso mesmo, estão incluídas duas canções de gerações diferentes declamadas pelo actor Albano Jerónimo  numa iniciativa da estação de rádio, Antena3. Na foto o último verso do poema 14 de Pablo Neruda.

  1. Do Not Go Gentle Into That Goodnight leitura de Richard Burton poema de Dylan Thomas

  2. As I Walked Out One Evening by Tom Hiddleston, poema de W H Auden.
  3.  Mata Me Outra Vez leitura de Albano Jerónimo, canção de Ornatos violeta

  4.  Beijos e Papas de Leite leitura de Albano Jerónimo, canção  de Jorge Palma

  5.  Talking in Bed by Tom Hiddleston, poema de Philip Larkin

  6.  Trecho do Livro Água Rosa de Clarice Lispector, leitura de Wagner Moura

  7.   May I Feel Said He leitura de Tom Hiddleston poema de E E Cummings

  8.  Desiderata leitura de Tom Hiddleston

    poema de Max Ehrmann

 

 

Jukebox Oscar

A poucos dias da cerimónia dos Óscares, o Mixtape faz uma viagem musical percorrendo, cronologicamente, as canções vencedoras do Óscar para melhor Canção Original. Tudo começou há muito tempo atrás, não numa galáxia distante, mas no mítico Hotel Biltmore em Los Angeles. A categoria de Melhor Canção original foi introduzida na 7ª edição dos Óscares no ano de 1935 e premeia os compositores e letristas da canção incluída no filme.

Para ser elegível, uma canção tem de ser composta originalmente para um filme, o que descarta canções que usam samples, versões e mash ups e explica a razão porque Moulin Rouge não teve nenhuma canção nomeada no ano que que concorreu. Também não pode ter sido lançada antes do ano em que o filme concorre e essa regra quase deixou de fora a canção vencedora de um Óscar em 2008 pelo filme Once. “Falling Slowly”, havia sido apresentada ao vivo pela banda de Glen Hansard, The Swell Season. Também por essa razão nenhuma das canções de musicais podem ser nomeadas e isso explica a introdução de uma canção original na adaptação para Cinema. “You Must Love me”, por exemplo, venceu Melhor Canção por Evita em 1996, e não fazia parte do musical de Andrew Lloyd Webber.

Em 1944 chegaram a ser 14 as canções nomeadas, em três anos, foram apenas 3, mas os estatutos permitem 5 canções nomeadas. Em quatro anos diferentes, o mesmo filme teve 3 canções nomeadas. Os Estúdios Disney detêm o monopólio de tripla nomeação e o início da década de 90 marca esse reinado, porém, no ano de 2008, foi instituída a regra de apenas 2 canções nomeadas por filme.

No meio das piadas dos anfitriões, discursos dos vencedores e apresentações de clips de filmes, a categoria de Melhor Canção é a perfeita desculpa para um número musical memorável, embora nem sempre tenha sido esse o caso. Não esquecer o infame número de Lord of the Dance. Os números musicais já foram prolongados, cortados, ignorados, colocados a um cantinho do televisor, mas aqui no Mixtape recebem honras. Eis alguns exemplos ao longo de sete décadas.

Mixtape Jukebox Oscar

1939 “Over the Rainbow” – The Wizard of Oz  Harold Arlen e E. Y. Harburg
1956  “Whatever Will Be, Will Be (Qué Será, Será)” – The Man Who Knew Too Much Jay Livingston e Ray Evans
1961 “Moon River” – Breakfast at Tiffany’s  Henry Mancini e Johnny Mercer
1969  “Raindrops Keep Fallin’ on My Head” – Butch Cassidy and the Sundance Kid  Burt Bacharach e Hal David
1971  “Theme from Shaft” – Shaft  Isaac Hayes
1973  “The Way We Were” – The Way We Were  Marvin Hamlisch, Alan Bergman e Marilyn Bergman
1980  “Fame” – Fame  Michael Gore, Dean Pitchford
1982 “Up Where We Belong” – An Officer and a Gentleman Jack Nitzsche , Buffy Sainte-Marie e Will Jennings
1983 “Flashdance… What a Feeling” – Flashdance Giorgio Moroder , Keith Forsey e Irene Cara
1986  “Take My Breath Away” – Top Gun Giorgio Moroder e Tom Whitlock
1987  “(I’ve Had) The Time of My Life” – Dirty Dancing Franke Previte, John DeNicola e Donald Markowitz
1988 “Let the River Run” – Working Girl Carly Simon
1991 “Beauty and the Beast” – Beauty and the Beast  Alan Menken e Howard Ashman
1992 “A Whole New World” – Aladdin Alan Menken e Tim Rice
1993  “Streets of Philadelphia” – Philadelphia Bruce Springsteen
1997 “My Heart Will Go On” – Titanic James Horner e  Will Jennings
2002  “Lose Yourself” – 8 Mile Eminem, Jeff Bass e Luis Resto
2007 “Falling Slowly” – Once  Glen Hansard e Markéta Irglová
2008 “Jai Ho” – Slumdog Millionaire A. R. Rahman e Gulzar

Televisão Musicada

O dia da Televisão comemora-se  dia  21 de Novembro e para celebrar, nada melhor que uma colectânea audiovisual dos  genéricos de séries de TV favoritos. Sigam-me e relembrem os tempos em um simples acorde que saía da televisão vos chamava para o sofá para assistir ao vosso programa favorito.

Instaurado pelas Nações Unidas em 1996 com o objectivo reforçar o intercâmbio cultural e incentivar as trocas de programas de televisão sobre questões como a paz, segurança, desenvolvimento social e económico,. Convenhamos que é mais divertido compilar os genéricos de TV do meu imaginário. Honrando mais ou menos o verdadeiro objectivo por detrás desta efeméride, não se pode negar o papel importante da tv nas nossas vidas (ainda que o computador esteja lentamente a ocupar o seu lugar) mais como entretenimento do que foco de cultura.

Algumas canções, até hoje estão marcadas na memória ao ponto de me lembrar de um gato que mia no final de Hill Street Blues ou um cão de ladra depois da frase «Sit Ubu, sit. Good dog.Woof.» Esse é o poder da TV. Seguem os dez genéricos (+1)que mais me marcaram, em ordem cronológica.

Family Ties
1982-1989
Johnny Mathis & Denise Williams: «Without Us»

Esta canção faz-me sempre lembrar a minha infância em que assistia religiosamente, aos Domingos, a série «Family Ties» com a minha amiga Guida. Quando ela visitava a madrinha, a minha vizinha, o horário das 19h estava sempre reservado para esse fim, seguindo de conversa sobre o quão fofo era Michael J. Fox no papel de Alex P. Keaton.

Cheers
1982-1993
Gary Portnoy: «Everybody Knows Your Name»

MacGyver
1985-1992
Randy Edelman compôs o tema musical

A adolescência nas tardes de Domingo, às 19h em ponto, hora sagrada para assistir às aventuras de «Mac Gyver». Não interessava onde estava ou quem visitava, assim que começasse o Mac Gyver , já ninguém me arrastava fora do sofá (a não ser no intervalo, nessa altura podíamos seguir rapidamente para casa antes que começasse a 2ª parte). Normalmente a minha mãe alinhava e acabava por ficar até ao intervalo, ela também achava piada ao intrépido aventureiro.

Twin Peaks
1990-1991
Julee Cruise: «Falling»

Os serões nocturnos, passados entre o fascínio e o medo com«Twin Peaks. A etérea voz de Julee Cruise era o momento de calmia na montanha russa de emoções que iam do encanto dos rapazes (belíssimos) da série, ao terror puro do vislumbramento de Bob.

The Simpsons
1989- presente
Danny Elfman compôs o tema

Eis um genérico fora do comum na medida em que cada episódio tinham um segmento diferente. No início, Bart Simpson, escreve algo diferente no quadro da escola e, no final, a família Simpson corre para o sofá com um resultado diferente em casa episódio. Pautado pelo génio musical de Danny Elfman, este era um genérico que se mostrava imperativo ver.

Baywatch
1991-2001
Jimi Jamison: «I’m Always Here»

Confesso que este tema é brejeiro, a fazer companhia ao genérico que mais parece um anúncio de bronzeadores, mas adoro este tema. Fica mesmo no ouvido. A série passava quase sempre na temporada de Verão e, nessas alturas eu estava sempre em casa a gozar férias no sofá, por isso este era o meu tema de abertura de Verão em casa.

Mad About You
1992-1999
Andrew Gold: «Final Frontier»

A minha série favorita, passava na tv a horas de turno da meia noite (muitas vezes 2 da manhã). Os anos 90, marcam o auge da reality tv e o tempo nobre das melhores séries de tv eram relegadas para as madrugadas (e ainda assim é hoje). Assim que oiço os primeiros acordes, o meu coração alegra-se com a perspectiva de assistir à rotina deste casal nova iorquino, cuja relação serve de modelo para a minha relação sonho. Ainda procuro o meu Paul e ainda sem este genérico de cor e volta e meia canto o dito pelos corredores de edifícios ou elevadores.

X-Files
1993-2002
Mark Snow compôs o tema

Na segunda metade dos anos 90, os genéricos de tv assistiram a uma mudança, deixaram de ser cantados e eram maioritariamente instrumentais. Essa particularidade não impediu que os temas musicais ficassem marcados na memória para todo o sempre. Tal como o genérico de Twilight Zone, o de X-Files é trauteado quando mencionamos algo do foro sobrenatural ou fantástico.

E.R
1994-2009
James Newton Howard compôs o tema da série

Fã acérrima da série . Os acordes iniciais tinham o condão de me instalar no sofá em entrar «na zona». Ninguém me podia interromper quando assistia à rotina dos médicos e enfermeiras do serviço de urgência , ficava colada ao ecrã pela autenticidade dos procedimentos médicos. Na temporada em que fiz o Erasmus na Escócia, assim que soavam as 9 da noite, seguia como uma flecha para a sala comum da residência universitária e todos sabia que a essa hora estaria em frente ao televisores, fosse sentada, em pé ou encostada à parede. Certo dia, alunos vindos do edifício anexo, tomaram a tv para assistir a outro programa e eu entrei em pânico, protestando sozinha, contra 5 marmanjos. Valeu-me a solidariedade feminina de alunas que tinham tv privada no quarto.. Onde já se viu, impedir uma pessoa do seu momento televisivo semanal. BAH.

 

Lost
2004-2010
Michael Giacchino compôs o tema

Na época de ouro das séries televisivas, pouco tempo era dispensado nos genéricos. Cada segundo era aproveitado para cativar o espectador logo de início. À medida que a tv deixa de ser o suporte de visionamento das séries, dando lugar ao computador, introduz-se o termo binge watching (que pode ser traduzido como maratona televisiva) e o genérico é reduzido a uns segundo de título televisivo. Ainda assim, esses segundos funcionam como reflexo de Pavlov, deixando-nos colados ao ecrã, ainda que antes do genérico, já muito tinha acontecido na narrativa da série.

O 11º genérico segue em menção honrosa
Game of Thrones
2011- presente
Ramin Djawadi compôs o tema

Após décadas de reduzidos ou inexistentes genéricos televisivos, surge este portento instrumental, deveras cinematográfico, a anunciar uma das séries mais marcantes da actualidade. Guerra dos Tronos traz consigo, o recorde de série mais vista de todos os tempo e o regresso do genérico de longa duração, com a particularidade de conter pormenores de localização geográfica diferentes em casa temporada e também o trecho musical mais cativante de todos os tempos. Não é todos os dias que uma orquestra completa com coro, introduz um genérico televisivo. Lah lah lah lah.

Mulher canta Mulher

Dia 8 de Março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher e aqui no nosso cantinho vamos celebrá-lo com música feita por elas. Canções de Mulheres influentes e influenciadoras no mundo da música ao longo dos tempos.

Mulheres que cantam sobre ser mulher, sobre o que querem, o que sentem, o que desejam, como se apaixonam. Cantam sobre a condição da mulher em particular, o abuso, a discriminação, o desrespeito. Mulheres que cantam sobre o respeito que merecem e que ainda não é partilhado por todas as nações, de outro modo não haveria necessidade para comemorar este dia que marca a luta pelos seus direitos e o seu lugar no mundo.

Playlist:Mulher

  1.  Nina Simone: Four Women
  2. Aretha Franklyn: Respect
  3. Leslie Gore: You Don’t Owe Me
  4. Helen Reddy: I Am Woman
  5. Chaka Khan: I’m Every Woman
  6. Cindy Lauper: Girls just Wanna Have Fun
  7. Eurythmics: Sisters Are Doing it for Themselves
  8. Janet Jackson: Nasty
  9. Tori Amos: Cornflake Girl
  10. No Doubt: I’m Just a Girl
  11. Clã: Lado Esquerdo
  12.  Alicia Keys: Girl On Fire
  13. Beyoncé: If I were a Boy
  14.  Simone: Desfolhada
  15. Patti Smith: Gloria
  16. Neneh Cherry: Woman
  17. Elis Regina: Maria Maria

Radio Gaga

Não se assustem, não foi inaugurada nenhuma estação de rádio dedicada a passar o reportório da cantora Lady Gaga, que curiosamente, escolheu o seu nome de baptismo pop na canção dos Queen. No dia que se comemora a Rádio, sendo eu fã incondicional de rádio logo pela manhã, o Mixtape escolhe uma selecção especial para os fãs das ondas de rádio AM/FM.

Confesso, sou daquelas pessoas que acorda bem-disposta de manhã. A razão desse estado de espírito matinal está no acto de ligar o rádio no meu programa favorito. Não é só a música que passa pelas ondas de rádio que me faz bem-disposta, os animadores da rádio, representam um papel crucial. Todas as manhã, o rotineiro acto de tomar o pequeno-almoço, preparar para sair, correr para os transportes, fica mais animado na companhia dos nossos animadores de eleição.

Não é só pela manhã que a rádio me acompanha. Os programa de autor das estações de rádio imperavam na noite em que o mais solitário dos indivíduos se sente acompanhado. O programa da Antena 3 “Drive In” de Álvaro Costa foi o meu salva vidas durante muitas noites dos anos universitários. No tempo que passei na Escócia durante o programa Erasmus, ouvia rádio logo pela manhã, por mais miserável que me sentisse dado as saudades do país natal, aquelas manhãs radiofónicas ajudavam a levantar-me pela manhã com um sorriso nos lábios – nem que fosse pela risota de tentar desvendar o indecifrável dialecto de glasgow.

Ontem e hoje, a rádio continua a representar um papel importante no dia-a-dia e merece o seu dia oficial.

  1. Queen: Radio Gaga
  2. R.E.M: Radio Song
  3. Bruce Springsteen: Radio Nowhere
  4. The Buggles: Video Killed the Radio Star
  5. The Clash: Radio Clash
  6. X-Wife: On the Radio
  7. Queens of th Stone Age: God is on the Radio

A TODOS UM BOM NATAL

Quem não se lembra da canção natalícia, marca registada do Coro de Santo Amaro de Oeiras? Martelava (e ainda martela) incessantemente nos nossos ouvidos assim que arrancam as festividades. Este ano, podem ter maior variedade. O Mixtape oferece a Banda Sonora para o Natal, garantia absoluta de vos colocar em boa disposição durante a tortuosa caminhada até o Dia N.

Prometo que nesta playlist não encontram o Coro de Santo Amaro de Oeiras, mas hits natalícios do Espírito do Natal Passado de várias décadas, o Espírito do Natal Animado e tresloucado e singles natalícios de Estrelas Pop unidas contra a Pobreza.
A todos os seguidores do Mixtape

FELIZ NATAL E OS VOTOS MIXADOS DE BOM ANO!

Playlist: XMAS I

  1. Mariah Carrey: All I Want for Christmas is You
  2. U2: Baby, Please Come Home
  3. Bobby Helms: Jingle Bell Rock
  4. Brenda Lee: Rocking Around the Christmas Tree
  5. Madonna: Santa Baby
  6. Nightmare Before Christmas BSO: What’s This?
  7. Frank Sinatra: Have Yourself a Merry Little Christmas
  8. Frank Sinatra: Let it Snow
  9. Paul McCartney: We all Stand Together
  10. John Lennon: So This is Christmas?
  11. Band Aid: Do They Know is Christmas?
  12. Wham: Last Christmas
  13. John Dever & The Muppets: We Wish You a Merry Christmas
  14. Mariah Carey: Santa Claus is Coming to Town