Televisão Musicada

O dia da Televisão comemora-se  dia  21 de Novembro e para celebrar, nada melhor que uma colectânea audiovisual dos  genéricos de séries de TV favoritos. Sigam-me e relembrem os tempos em um simples acorde que saía da televisão vos chamava para o sofá para assistir ao vosso programa favorito.

Instaurado pelas Nações Unidas em 1996 com o objectivo reforçar o intercâmbio cultural e incentivar as trocas de programas de televisão sobre questões como a paz, segurança, desenvolvimento social e económico,. Convenhamos que é mais divertido compilar os genéricos de TV do meu imaginário. Honrando mais ou menos o verdadeiro objectivo por detrás desta efeméride, não se pode negar o papel importante da tv nas nossas vidas (ainda que o computador esteja lentamente a ocupar o seu lugar) mais como entretenimento do que foco de cultura.

Algumas canções, até hoje estão marcadas na memória ao ponto de me lembrar de um gato que mia no final de Hill Street Blues ou um cão de ladra depois da frase «Sit Ubu, sit. Good dog.Woof.» Esse é o poder da TV. Seguem os dez genéricos (+1)que mais me marcaram, em ordem cronológica.

Family Ties
1982-1989
Johnny Mathis & Denise Williams: «Without Us»

Esta canção faz-me sempre lembrar a minha infância em que assistia religiosamente, aos Domingos, a série «Family Ties» com a minha amiga Guida. Quando ela visitava a madrinha, a minha vizinha, o horário das 19h estava sempre reservado para esse fim, seguindo de conversa sobre o quão fofo era Michael J. Fox no papel de Alex P. Keaton.

Cheers
1982-1993
Gary Portnoy: «Everybody Knows Your Name»

MacGyver
1985-1992
Randy Edelman compôs o tema musical

A adolescência nas tardes de Domingo, às 19h em ponto, hora sagrada para assistir às aventuras de «Mac Gyver». Não interessava onde estava ou quem visitava, assim que começasse o Mac Gyver , já ninguém me arrastava fora do sofá (a não ser no intervalo, nessa altura podíamos seguir rapidamente para casa antes que começasse a 2ª parte). Normalmente a minha mãe alinhava e acabava por ficar até ao intervalo, ela também achava piada ao intrépido aventureiro.

Twin Peaks
1990-1991
Julee Cruise: «Falling»

Os serões nocturnos, passados entre o fascínio e o medo com«Twin Peaks. A etérea voz de Julee Cruise era o momento de calmia na montanha russa de emoções que iam do encanto dos rapazes (belíssimos) da série, ao terror puro do vislumbramento de Bob.

The Simpsons
1989- presente
Danny Elfman compôs o tema

Eis um genérico fora do comum na medida em que cada episódio tinham um segmento diferente. No início, Bart Simpson, escreve algo diferente no quadro da escola e, no final, a família Simpson corre para o sofá com um resultado diferente em casa episódio. Pautado pelo génio musical de Danny Elfman, este era um genérico que se mostrava imperativo ver.

Baywatch
1991-2001
Jimi Jamison: «I’m Always Here»

Confesso que este tema é brejeiro, a fazer companhia ao genérico que mais parece um anúncio de bronzeadores, mas adoro este tema. Fica mesmo no ouvido. A série passava quase sempre na temporada de Verão e, nessas alturas eu estava sempre em casa a gozar férias no sofá, por isso este era o meu tema de abertura de Verão em casa.

Mad About You
1992-1999
Andrew Gold: «Final Frontier»

A minha série favorita, passava na tv a horas de turno da meia noite (muitas vezes 2 da manhã). Os anos 90, marcam o auge da reality tv e o tempo nobre das melhores séries de tv eram relegadas para as madrugadas (e ainda assim é hoje). Assim que oiço os primeiros acordes, o meu coração alegra-se com a perspectiva de assistir à rotina deste casal nova iorquino, cuja relação serve de modelo para a minha relação sonho. Ainda procuro o meu Paul e ainda sem este genérico de cor e volta e meia canto o dito pelos corredores de edifícios ou elevadores.

X-Files
1993-2002
Mark Snow compôs o tema

Na segunda metade dos anos 90, os genéricos de tv assistiram a uma mudança, deixaram de ser cantados e eram maioritariamente instrumentais. Essa particularidade não impediu que os temas musicais ficassem marcados na memória para todo o sempre. Tal como o genérico de Twilight Zone, o de X-Files é trauteado quando mencionamos algo do foro sobrenatural ou fantástico.

E.R
1994-2009
James Newton Howard compôs o tema da série

Fã acérrima da série . Os acordes iniciais tinham o condão de me instalar no sofá em entrar «na zona». Ninguém me podia interromper quando assistia à rotina dos médicos e enfermeiras do serviço de urgência , ficava colada ao ecrã pela autenticidade dos procedimentos médicos. Na temporada em que fiz o Erasmus na Escócia, assim que soavam as 9 da noite, seguia como uma flecha para a sala comum da residência universitária e todos sabia que a essa hora estaria em frente ao televisores, fosse sentada, em pé ou encostada à parede. Certo dia, alunos vindos do edifício anexo, tomaram a tv para assistir a outro programa e eu entrei em pânico, protestando sozinha, contra 5 marmanjos. Valeu-me a solidariedade feminina de alunas que tinham tv privada no quarto.. Onde já se viu, impedir uma pessoa do seu momento televisivo semanal. BAH.

 

Lost
2004-2010
Michael Giacchino compôs o tema

Na época de ouro das séries televisivas, pouco tempo era dispensado nos genéricos. Cada segundo era aproveitado para cativar o espectador logo de início. À medida que a tv deixa de ser o suporte de visionamento das séries, dando lugar ao computador, introduz-se o termo binge watching (que pode ser traduzido como maratona televisiva) e o genérico é reduzido a uns segundo de título televisivo. Ainda assim, esses segundos funcionam como reflexo de Pavlov, deixando-nos colados ao ecrã, ainda que antes do genérico, já muito tinha acontecido na narrativa da série.

O 11º genérico segue em menção honrosa
Game of Thrones
2011- presente
Ramin Djawadi compôs o tema

Após décadas de reduzidos ou inexistentes genéricos televisivos, surge este portento instrumental, deveras cinematográfico, a anunciar uma das séries mais marcantes da actualidade. Guerra dos Tronos traz consigo, o recorde de série mais vista de todos os tempo e o regresso do genérico de longa duração, com a particularidade de conter pormenores de localização geográfica diferentes em casa temporada e também o trecho musical mais cativante de todos os tempos. Não é todos os dias que uma orquestra completa com coro, introduz um genérico televisivo. Lah lah lah lah.

Advertisements