Don’t You Forget About Me

A apropriação do título da canção estandarte do filme “Breakfast Club” (O Clube), assenta na perfeição no tributo a John Hughes. É também o título de um livro editado em 2007, um conjunto de ensaios sobre o realizador, argumentista e produtor que, para choque e desilusão da geração que cresceu nos anos 80, faleceu vítima de ataque cardíaco. Hughes é e será recordado por captar a angústia adolescente de uma forma honesta e singular. A sua escrita trouxe-nos personagens inesquecíveis, ainda que alicerçadas em estereótipos típicos da adolescência: o marrão, o atleta, o incompreendido, a princesa, o rufia, nunca foram uni dimensionais ou caíram no lugar comum. Recordava-o com muita saudade e nostalgia, cada vez que via um filme (dito) para adolescentes, quase sempre insípido, mundano e boçal. Recordava-o com esperança que regressasse do interregno dos filmes infantis -na década de 90 realizou e escreveu o argumento dos filmes: “Sozinho em Casa”, “Curly Sue”, “O Meu Tio Buck”, entre outros –  e foi desvanecendo do panorâmica cinematográfico, ainda que activo como argumentista sob o pseudónimo de Edmond Dantes. Preparava um segmento denominado “Ai Saudades”, no qual John Hughes seria o primeiro visado. Nunca imaginei que o material reunido para esse segmento fosse redireccionado para o tributo.

Um entusiástico mixtaper, John Hughes usava a música como complemento crucial na estrutura de uma cena ou na caracterização emocional de uma personagem e nunca como um suporte musical comercial destinado a alimentar as massas. Os seus filmes não só ajudaram a lançar a carreira de jovens actores catalogados como “Brat Pack”, (eco do epíteto”Rat Pack” dos anos 50), como tirou da obscuridade algumas bandas. A playlist dedicada a John Hughes, inclui temas que não figuram nas bandas sonoras originais, assim como clips áudio surpresa. Hughes realizou 8 longas metragens, porém escreveu o guião e produziu outros tantos filmes que deixaram uma marca inolvidável no panorama cinematográfico da década de oitenta. Curiosamente a banda sonora de “Ferris Buller’s Day Off” (O Rei dos Gazeteiros), não chegou a ser lançada, uma decisão do próprio Hughes por achar que as músicas não conjugavam entre si, provando a dedicação ao acto de compilar mixtapes.

Este é, então o espaço ideal para apresentar a compilação que se segue. Clicar no link abaixo para ouvir.

  1. Ferris Buller (Mathew Broderick): “Life Moves Pretty Fast” (Ferris Buller’s Day Off)
  2. The Beatles: Twist and Shout (Ferris Buller’s Day Off)
  3. The Ramones: Blitzkrieg Bop (National Lampoon’s Vacation)
  4. Karla DeVito: We Are Not Alone (Breakfast Club)
  5. Watts (Mary Stuart Masterson): “If You Want Shallow Call Amanda Jones” (Some Kind of Wonderful)
  6. The Rolling Stones: Miss Amanda Jones (Some Kind of Wonderful)
  7. Otis Reading: Try a Little Tenderness (Pretty in Pink)
  8. Brian Johnson (Michael C. Hall): “Does That Answer Your Question?” (Breakfast Club)
  9. Simple Minds: Don’t You (Forget About me) (Breakfast Club)
  10. Keith (Eric Stoltz): “We Alway Hurt The Ones We Love” (Some Kind of Wonderful)
  11. Violet March: Looking to the Sky (Some Kind of Wonderful)
  12. Jesus and Mary Chain: The Hardest Walk (Some Kind of Wonderful)
  13. Billy Idol: Rebel Yell ((Sixteen Candles)
  14. Spandau Ballet: True (Sixteen Candles)
  15. David Bowie: Young Americans (Sixteen Candles)
  16. Propaganda: Mabuse (Some Kind of Wonderful)
  17. Economics Teacher: Ben Stein: “Buller” (Ferris Buller’s Day Off)
  18. English Beat: March of the Swivelheads (Ferris Buller’s Day Off)
  19. The Secretary (Edie McClurg): “He’s a Righteous Dude” (Ferris Buller’s Day Off)
  20. Yellow: Oh Yeah (Ferris Buller’s Day Off)

Não posso deixar de acrescentar uma montagem deliciosa compilada pelo youtuber Barringer82 de nome Paul Proulx, que concentra em 8 minutos o génio criativo de Hughes.

 

 

Advertisements