Óscares Capilares

A estreia de mais uma aventura James Bond está a escassas horas, porém, após a apresentação do trailer, a minha atenção recai num pormenor particular: a hedionda opção capilar do vilão de serviço interpretado por Javier Bardem. Não é a primeira vez que Bardem ostenta tamanha monstruosidade capilar. No seu discurso ao receber o Óscar por “No Country for Old Men” pela personagem de Anton Chigurh chega a congratular os irmãos Cohen por “colocar o pior corte de cabelo da história na minha cabeça”. Se é verdade que a escolha de guarda-roupa e maquilhagem é uma ferramenta essencial para um actor na interpretação de uma personagem, a escolha do penteado não lhe fica atrás. No gráfico com as variáveis: hediondo corte de cabelo / chance para o Óscar, quanto pior o penteado, melhor a hipótese de ganhar a cobiçada estatueta. Eis 5 exemplos. O Óscar para melhor interpretação capilar vai para…

GARY OLDMAN em The 5th Element
Personagem: Jen-Baptiste Zorg
Escolha capilar: Uma singela madeixa ao lado na cabeça rapada.

screen-shot-2015-10-21-at-2-22-42-am

Gary Oldman tem a sua cota parte de vilões no cinema e interpreta todos na perfeição, mas este é o único com fashion sense. Num contexto futurista, quem diz que um vilão tem de ser mal- arranjado? Jean-Baptiste Zorg opta por um aspecto vanguardista bem ao estilo de Jean Paul Gaultier (o mesmo que assina o guarda roupa do filme) que em nada o favorece, mas é simplesmente hilariante. Aquela madeixa de risco ao lado é a cereja no topo do bolo de penteados horripilantes, mas Oldman usa-o com tão acutilante humor que tudo lhe perdoamos. Até mesmo explodir o planeta Terra.

SEAN PENN em “Carlito’s Way”
Personagem: David Kleinfeld
Escolha Capilar: carapinha

penn-carlitos-way

Para interpretar o advogado de um mafioso, Penn rapou a parte da frente da testa, criando a ilusão de calvíce precoce e fez uma permanente para o efeito extra caracóis. O realizador Brian de Palma e o actor justificaram a escolha argumentando que a maior parte dos advogados têm aspecto ainda mais bizarro que os mafiosos que representam. E voilá, sem dúvida um dos mais bizarros aspectos de Penn (ainda mais que a recente interpretação de “This Must be the Place”

MICKEY ROURKE em “The Wrestler”
Personagem: Randy ‘The Ram’ Robinson
Escolha capilar: Longo cabelo oxigenado

the-wrestler-l-evolution-physique-de-mickey-rourke-au-cinema

Mickey Rourke faz o chamado comeback no filme que faz um retrato cru da solitária vida de um veterano wrestler, em tudo paralelo à sua própria história de vida. Rourke, outrora arrancou suspiros da ala feminina pelos dramas eróticos: “Nine 1/2 Weeks” e “Wild Orchid”, ostenta uma ranhosa melena oxigenada. Nada apelativa aos olhos, não deixa de ser uma escolha capilar fiel aos profissionais de wrestling que, convenhamos, não primam pelo bom gosto de corte de cabelo. O papel de Randy ‘the Ram’ valeu a Rourke uma nomeação para o Óscar e quase o levava para casa (não fosse Sean Penn pela surpreendente transformação em Harvey Milk), mas rendeu vários prémios de crítica, entre eles um Globo de Ouro.

Johnny Depp em “Fear and Loathing in Las Vegas”
Personagem: Raoul Duke
Escolha capilar: calvo

yzt3usb

Johnny Depp nunca ligou muito ao rótulo de “Homem mais sexy” mas, passadas três décadas, continua a ser um título que lhe assenta. Nada que o impeça de fazer escolhas radicais e fora do comum que o transfiguram por completo. Da sua longa parceria com o realizador Tim Burton sobressaíram meia dúzia de personagens nesses moldes, porém a personagem de Raoul Duke extrapola o nível de bizarro. Adaptado do livro de Hunter S. Thompson como o mesmo nome, Depp inspira-se no escritor para compor o seu personagem. Calvo, com óculos de aviador e cigarrilha no canto da boca, o actor consegue-o com assustadora perfeição. No final da década de noventa, Johnny Depp não era um nome cimeiro da indústria de cinema como é agora, mas a sua transformação física é digna de galardões. A alucinada interpretação assustou em igual modo, crítica e público, no entanto conserva o estatuto de culto.

NICOLAS CAGE em “Adaptation”
Personagem: Charlie Kaufman
Opção capilar: cabelo ralo

hair_adaptation-431

Ao longo da sua carreira, Nicolas Cage tem mostrado ousadas opções capilares e escolher uma foi difícil. Tendo em conta a variável hediondo corte de cabelo /chance para o Óscar, esta é a escolha certa, uma vez que foi de facto nomeado para o Óscar de Melhor Actor em 2003. Perdeu a estatueta para Adrien Brody, mas a sua interpretação de uma versão ficcional do brilhante argumentista Charlie Kauffman é uma das cimeiras. Curiosamente o verdadeiro Kaufman não tem este aspecto, mas no filme surge com um corte nada atractivo que mais parece um ninho de ratos.

Advertisements

5 Sustos

Chega o dia muito querido no calendário Mixtape, onde há carta branca para assustar o próximo sem correr o risco de ser rotulado de “Maluquinho”. Em edição anterior já se compilou uma colectânea para a ocasião, esta é a versão alargada. Aproveito para vos pregar 5 sustos que são 5 sugestões de filmes para verem lá em casa, caso planeiem uma noite das Bruxas no aconchego do lar.
Aconselha-se o visionamento com um recipiente de doces halloweenescos vários e um gato, pois este felino tem o dom quase sobrenatural de nos saltar para o colo nas situações mais propícias ao susto, especialmente quando vemos filmes de terror. O Mixtape sabe de fonte segura que na noite de Halloween, zombies sairão à rua e lá estará para fotografar, munida de uma catana, não vá algum morto-vivo tentar morder.

Divirtam-se com as vossas Doçuras ou Travessuras
MUAHAHAHHAHAHAHA

Susto 1

THE SHINING
BÚUU: Ainda mais assustador que a interpretação de Jack Nicholson como o possuído Jack Torrance, é a música e as fracções de imagens horripilantes das alucinações

Susto 2

FIRE WALK WITH ME
Búu: Uma palavra apenas: Bob. Se não viram a série Twin Peaks, podem ver o filme que antecede a série e ainda assim ficar arrepiados.


Susto 3

SE7VEN
Búu: O filme é tão assustador que apenas o vi uma vez e não me atrevo a ver mais. Todo o ambiente sombrio onde nada se vê mas tudo se imagina é o mais horripilante de tudo.


Susto 4

THE EXORCIST
Búu: Sendo um filme da década de setenta, ainda assusta actualmente, particularmente assustadora é a voz possuída de Reagan

Susto 5
BLAIR WITCH PROJECT
Búu: Duas palavras: Floresta à noite. Medo, muito medo.

Precipitação Romântica

Nas primeiras chuvas de Outono, lembro-me sempre de John Cusack e o seu deambular pela chuva em desencanto romântico. Seguramente é seu o recorde de actor com o maior número de cenas à chuva, como se pode comprovar pelo vídeo cortesia do site Moviephone. A predilecção do cinema por romance debaixo de precipitação vem de longe e não se estende exclusivamente aos filmes onde John Cusack entra. Porque a chuva instiga o meu nervo cinéfilo – amoroso, o Mixtape apresenta uma compilação de cenas românticas à chuva. Usufruam com um sorriso sonhador, nem que seja para esquecer, por momentos, o caótico trânsito devido à chuva.

10 Cenas de Precipitação romântica

The Notebook, , Garden State, Cinema Paradiso,  Breakfast at Tiffany’s, Spider Man, Four Weddings and a Funeral, , Streets of Fire, Match Point, Midnight in Paris, Great Expectations