Eu, Cameo

Para aqueles que não são versados na gíria cinematográfica, explico que um cameo diz respeito a uma pequena participação surpresa de um protagonista das artes num programa de tv, filme ou vídeo musical. A linha que separa a participação cameo de uma participação especial é ténue, mas diferenciada pela inclusão do nome do artista nos créditos iniciais (de outro modo estragaria a surpresa, não é verdade?). Que comece o compêndio de cameos.

Alguns cameos são presenças sem falas, outros têm diálogo ou uma frase. Alguns representam-se a si próprios numa realidade alternativa, outros surgem como personagens que desempenharam em filmes ou séries de tv que de algum modo estão ligados ao contexto. Não há limites nem regras, é um pouco vale tudo, desde que contenha o elemento surpresa e o efeito cómico também. Alfred Hitchcock foi um dos primeiros cineastas a explorar esta coisa do cameo, surgindo amiúde nos seus filmes.
Bruce Willis
“Mad About You” (TV)

No episódio em que Jamie dá entrada no hospital para ter o bebé, Paul embarca numa odisseia para trazer a aliança da esposa que ficou esquecida no apartamento. Ao regressar depara-se com um aparatoso dispositivo de segurança devido à hospitalização de Bruce Willis depois de um acidente na filmagem do seu último filme: “Die Already”. Uma clara graçola à franchise, com a conivência de Willis (na altura a filmar “Doze Macacos”), absolutamente hilariante, satirizando o seu personagem do durão desbocado John Maclaine.

Anos mais tarde, Willis participa, como ele próprio, em “Ocean’s 13“, confrontando-se com a personagem Tessa, protagonizada por Julia Roberts, fazendo-se passar por…. Julia Roberts! Sim, é confuso, mas bem explicadinho soa assim: Julia Roberts interpreta a personagem de Tessa que, levando a cabo, um esquema, faz-se passar pela actriz Julia Roberts.

Pearl Jam
“Singles”

A carta de Amor de Cameron Crowe à cidade de Seattle resulta numa extraordinária banda sonora que, não só reflecte a década de noventa, como inclui participações dos músicos que definiram a cena musical de Seattle. A mais curiosa, os três elementos dos Pearl Jam, aqui como companheiros da banda de Cliff (Matt Dillon), os Citizien Dick. Outros cameos incluem, o próprio realizador, Chris Cornell dos Soundgarden e Tim Burton.

Bruce Springsteen
“High Fidelity”

Quando Rob Gordon (Cusack) deambula sobre a possibilidade de falar com todas as suas ex-namoradas para perceber o que falha nas suas relações, remete para uma canção de Bruce Springsteen. Qual não é o nosso espanto quando o Boss, ele próprio, improvisa pérolas de sabedoria dedilhando a sua guitarra.

Alice Cooper
“Wayne’s World”

Quando se fala em Alice Cooper, imaginamos algo decadente, macabro, obscuro e até sanguinário. Quando Wayne e Garth, de acreditação Livre Acesso em riste, entram no camarim de Cooper, não estão preparados para a presença serena e algo didáctica de tão visualmente assustador performer. E nós também não, daí a piada. A realizadora Penelope Spheeris confessou que, inicialmente pensou, em Ozzy Osbourne para o papel, mas este rejeitou. O futuro ditaria que o público veria igualmente Ozzy num ângulo bem diferente daquele que estamos habituados.

Steven Spielberg, Tom Cruise, Gwyneth Paltrow, Britney Spears, Kevin Spacey, Danny DeVito
“Austin Powers – Golden Member”

A predilecção das aventuras do espião Austin Powers, está na justificação para a incrível parada de artistas que brindam os créditos iniciais do terceiro filme da saga Austin Powers. Primeiro um spoof do spoof que são as aventuras do espião de Sua Majestade preso da década errada. De seguida de um making of com direito a ver os seios de Britney Spears a disparar rajadas de munição.

Harrison Ford
“E.T – Extra – Terrestrial”

Aqui está um cameo muito bem disfarçado, são poucos os que reconhecem a figura e voz de Harrison Ford como o professor de Elliot na sequência da dissecação dos sapos. Ford aparecia noutra cena, que acabou por ser cortada, mas pode ser vista no DVD.

Cher
“Will & Grace” (TV)

Esta série teve inúmeras e frutíferas participações especiais, ou os actores protagonizavam personagens ou interpretam si mesmas. Este cameo de Cher é inesperado e não seria o único na série. Engraçado como Jack, fã número um de Cher, a ignora por completo, tomando-a por um travesti muito bem disfarçado.

Matt Damon Ben Affleck Gus Van Sant
“Jay & Silent Bob”

O filme é mau e talvez Matt Damon e Ben Affleck o soubessem mas, como o primeiro diz no filme “quem manda dever favores a amigos?!”. Este é o melhor momento do filme. A cena diz respeito à filmagem de uma suposta sequela de “Good Will Hunting”, dirigida (ou não) por Gus Van Sant.

Robert Patrick
“Wayne’s World”


Um bom exemplo de cameo, com Robert Patrick a bisar a arrepiante personagem de T1000 em Terminator – Judgment Day que ainda estava fresquinha na memória dos espectadores aquando a estreia de Wayne’s World em 1992.

Brad Pitt & Matt Damon
“Confessions of a Dangerous Mind”

O poder de influência de George Clooney, não só consegue contratar Julia Roberts por uma nota de 20 dólares, como “pesca” estes dois belos cromos, na realização do seu primeiro filme.

Michael Jackson
Men in Black

Michael Jackson, um alien a requisitar um lugar como agente MIB. Realidade ou ficção?! Apenas um cameo muito bem pensado.

Keith Richards
“Pirates of the Caribbean – At World’s End”

Quando Johnny Deep confessou ter baseado o seu personagem de Jack Sparrow no legendário guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards, estava longe de imaginar que ele aceitaria interpretar o seu pai no terceiro filme da saga Piratas das Caraíbas. Quanto ao espectador, foi uma surpresa já anunciada, mas talvez a surpresa maior foi saber que Richards partiu a cabeça ao cair de um coqueiro quando estava no local da filmagem. Há pessoas que mais parecem personagens de filme e Keith Richards é uma dessas pessoas.

Marshall McLuhan
“Annie Hall”

O que faz um estudioso da comunicação num filme de Woody Allen? Ajuda a provar um ponto de vista. Parafraseando Woody Allen ” Se ao menos a vida real fosse assim…”

Michael Jackson: Liberian Girl (Video clip)

O obsceno número de cameos no videoclip de um dos singles do álbum Bad, não só impede a menção a todos os artistas (cantores, actores, realizadores, produtores) nele incluídos, como me atrevo a caracterizar este clip como um enorme cameo em forma de vídeclip.

Os realizadores, volta e meia, gostam de meter uma perninha na interpretação, ou por piada ou por falta de casting. Peter Jackson é daqueles que raramente falha um cameo.

Também Martin Scorcese

Quentin Tarantino- Master of Cameo

Antes de ser realizador /guionista, Quentin Tarantino tentou a sorte como actor e, apesar da sua carreira de interprete não o ter levado muito além, o rapaz até tem jeito, especialmente quando faz dele próprio, divagando sobre cinefilia. Tarantino não é o único realizador a fazer pequenos cameos nos seus filmes mas é, talvez, aquele que mais participações tem fora deles. São essas participações que nos vamos concentrar, por ordem cronológica

Reza a lenda que Quentin mentiu no seu currículo para conseguir papéis, sublinhando a sua participação no filme de 1978 «Dawn of the Dead» de George A. Romero e «King Lear» de Jean-Luc Goddard, filmes à margem de Hollywood. A sua primeira experiência como actor foi numa curta-metragem realizada e escrita por si em 1987, «My Best Friend’s Birthday» quando ainda trabalhava na loja de aluguer de vídeo. Curiosamente, os restantes actores da curta foram os seus colegas de trabalho. A curta nunca foi lançada, mas está na web uma cópia demo onde se reconhecem alguns excertos que foram incluídos no primeiro guião de Tarantino a ser filmado, «True Romance», realizado por Tony Scott..

Em entrevista no programa «Charlie Rose», pela altura da estreia de «Jackie Brown» Tarantino fala sobre o seu gosto em representar e como foi esse o seu começo (no vídeo a partir do minuto 1m23).

Golden Girls (TV 1988)
Personagem: Imitador de Elvis Presley (a descrição explica tudo).

Eddie Presley
Jeff Burr
Personagem: Funcionário de um asilo.


Nota-se uma predilecção pela temática Elvis Presley. Não é segredo que o realizado é um grande fã de Elvis.
All American Girl (TV 1994)
Personagem: Sid.

Neste episódio que retrata a vida de uma família coreana na América, Tarantino é um fornecedor de filmes VHS que mostra interesse pela filha do casal. O episódio tem imensas referências ao filme «Pulp Fiction». e a sua presença é um grande piscar de olho à sua obra.

Sleep With Me (1994)
De Rory Kelly
Personagem: Sid
Em conversa com alguém numa festa, Quentin é basicamente ele próprio discutindo o significado subentendido do filme Top Gun.

Desperado (1995)
De Robert Rodriguez
Personagem: No filme realizado pelo seu irmão do coração, como diz ele, Tarantino é um género de intermediário que aparece num bar a contar uma piada.

Destiny Turns on the Radio (1995)
De Jack Baran
Personagem: Johnny Destiny.
Começa com Quentin a dar boleia ao protagonista e depois coisas estranhas acontecem, incluindo a cena do realizador a sair de uma piscina para ser atingido por um raio laser…


Somebody to Love (1996)
De Alexandre Rockwell
Personagem: Empregado de bar que se adivinha falador, em vez de bom ouvinte como todos os empregados de bar.

From Dusk Til Dawn (1996)
De Robert Rodriguez
Personagem: Richard Gecko.

Tarantino contracena com George Clooney, interpretando o seu irmão com um certo problema de manter a calma.
Little Nicky (2000)
De Steven Brill
Personagem: é um padre cego que dá sermões na rua.
Depois deste papel saiu um pouco de circulação representativa, excepto nos seus filmes, mas não sem antes experimentar um pouco de comédia slapstick.

Alias (TV 2002)
Personagem: McKennas Cole.
Tarantino é um ex agente renegado que enfrenta a organização governamental de Sidney Bristow.

The Muppets Wizard of Oz (Telefime 2005)
De Kirk R.Thatcher
Personagem: o realizador que interpreta um realizador que faz uma apresentação de um filme com os Marretas

Planet Terror (2007)
Robert Rodriguez
Personagem: no IMDB está creditado como violador #1, Carne para canhão zombie. Terror de série B é a praia de Tarantino e os monólogos onde o cinema é o tema principal, também


Sukiyaky Western Django (2007)
De Takashi Miike
Personagem:Piringo.
O realizador está como um peixe na água interpretando um pistoleiro solitário, ocidental, no meio do universo oriental dos mestres de espadas samurai.